6º ano


 

CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES – FICHA 2
Relações Tróficas em uma Comunidade
Cadeias alimentares: o que são?
A matéria está constantemente ciclando dentro de um ecossistema, ou dito de outra forma, o que os seres vivos retiram do ambiente, eles devolvem. Tem sido assim desde do início da existência da vida da terra, até os dias de hoje. Trata-se de um ciclo eterno.
Além da matéria, a energia também passa por todos os componentes de um ecossistema, só que, no entanto, enquanto a matéria circula, a energia flui, o que significa que a energia não retorna ao ecossistema como a matéria como iremos ver na próxima seção.
Como podemos notar, os ecossistemas possuem uma constante passagem de matéria e energia de um nível para outro até chegar nos decompositores, os quais reciclam parte da matéria total utilizada neste fluxo. A este percurso de matéria e energia que se inicia sempre por um produtor e termina em um decompositor, chamamos de cadeia alimentar.

Componentes de uma cadeia alimentar
Obrigatoriamente, para existir uma cadeia alimentar devem estar presentes os produtores e os decompositores. Entretanto não é isso o que acontece na realidade, pois outros componentes estão presentes.
Desta forma a melhor maneira de se estudar uma cadeia alimentar, é através do conhecimento dos seus componentes, ou seja, toda a parte viva (fatores bióticos) que a compõe. Os componentes de todas as cadeias de uma forma geral podem ser enquadrados dentro das seguintes categorias:
  • Produtores - são todos os seres que fabricam o seu próprio alimento, através da fotossíntese, sendo neste caso as plantas, sejam elas terrestres ou aquáticas;
  • Animais - os animais obtem sua energia e alimentos comendo plantas ou outros animais, pois não realizam fotossíntese, sendo, portanto incapazes de fabricarem seu próprio alimento.
  • Decompositores - apesar da sua importância, os decompositores nem sempre são muito fáceis de serem observados em um ecossistema, pois sendo a maioria formada por seres microscópicos, a constatação da sua presença não é uma tarefa tão fácil.
. Detalhe de dois cogumelos na serrapilheira (camada de folhas em decomposição) no solo de uma floresta. Os cogumelos são um exemplo das centenas de fungos diferentes que atuam como decompositores
A cada grupo de organismos com necessidades alimentares semelhantes quanto à fonte principal de alimento, chamamos de nível trófico. Em cada nível, temos um grupo de organismo com as mesmas características alimentares; isto que dizer que consumidores primários somente alimentam-se de itens de origem vegetal; consumidores secundários, por sua vez, são carnívoros assim como os terciários. Cabe ressaltarmos, no entanto, que tanto os consumidores secundários quanto os terciários podem ocasionalmente, ou complementarmente, alimentar-se de vegetais, não sendo porém este, o seu principal item alimentar.
                                   
CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES – FICHA 3



Cadeia alimentar, este termo ecológico representa o vínculo existente entre um grupo de 
organismos presentes em um ecossistema, os quais são regulados pela relação predador-presa. 
É através da cadeia alimentar, ou cadeia trófica, que é possível a transferência de energia entre 
os seres vivos. É a unidade fundamental da teia trófica.
Existem basicamente dois tipos de cadeia alimentar, as que começam a partir das plantas fotos-
sintetizantes e as originadas através da matéria orgânica animal e vegetal morta. As plantas são
 consumidas por animais herbívoros enquanto que a matéria orgânica morta é consumida pelos 
animais detritívoros. A cadeia alimentar é constituída pelos seguintes níveis:


PRODUTORES - São os organismos capazes de fazer fotossíntese ou quimiossíntese. Produzem e 
acumulam energia através de processos bioquímicos utilizando como matéria prima a água, gás 
carbônico e luz. Em ambientes afóticos (sem luz), também existem produtores, mas neste caso a 
fonte utilizada para a síntese de matéria orgânica não é luz mas a energia liberada nas reações
 químicas de oxidação efetuadas nas células (como por exemplo em reações de oxidação de com-
postos de enxofre). Este processo denominado quimiossíntese é realizado por muitas bactérias ter-
restres e aquáticas.
CONSUMIDORES PRIMÁRIOS - São os animais que se alimentam dos produtores, ou seja, são as 
espécies herbívoras. Milhares de espécies presentes em terra ou na água, se adaptaram para con-
sumir vegetais, sem dúvida a maior fonte de alimento do planeta. Os consumidores primários podem 
 ser desde microscópicas larvas planctônicas, ou invertebrados bentônicos (de fundo) pastadores, 
até grandes mamíferos terrestres como a girafa e o elefante.
CONSUMIDORES SECUNDÁRIOS - São os animais que se alimentam dos herbívoros, a primeira ca-
tegoria de animais carnívoros.
CONSUMIDORES TERCIÁRIOS - São os grandes predadores como os tubarões, orcas e leões, os
 quais capturam grandes presas, sendo considerados os predadores de topo de cadeia. Tem como característica, normalmente, o grande tamanho e menores densidades populacionais.
DECOMPOSITORES OU BIOREDUTORES - São os organismos responsáveis pela decomposição da
 matéria orgânica, transformando-a em nutrientes minerais que se tornam novamente disponíveis no ambiente. Os decompositores, representados pelas bactérias e fungos, são o último elo da cadeia trófica, fe-
chando o ciclo. A seqüência de organismos relacionados pela predação constitui uma cadeia alimen-
tar, cuja estrutura é simples, unidirecional e não ramificada.
A transferência do alimento (energia) de nível para nível trófico a partir dos produtores faz-se atra-
vés de cadeias alimentares, cuja complexidade é variável. Na maioria das comunidades, cada con-
sumidor utiliza como alimento seres vivos de vários níveis tróficos. Daí resulta que na Natureza não
 há cadeias alimentares isoladas. Apresentam sempre vários pontos de cruzamento, formando redes
 ou teias alimentares, geralmente de elevada complexidade.




TEIA ALIMENTAR
                                   As plantas nunca mudam o seu papel: são sempre produtores. E todos os produtores e consumidores, estão ligados aos decompositores, que permitem a reciclagem da matéria orgânica no ambiente.

TRABALHO NO CADERNO
Produção textual de no mínimo 15 linhas.
Título: Qual a importância das cadeias alimentares?

RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS
 Como você já sabe, nenhuma espécie sobrevive sozinha. Os seres vivos estabelecem entre si variados tipos de relações. Essas relações estão associadas à manutenção do equilíbrio ecológico em determinado ecossistema.
SOCIEDADE
Sociedade é um tipo de relação ecológica estabelecida entre indivíduos da mesma espécie.
Nas sociedades, os indivíduos mantêm grande dependência uns em relação aos outros, em consequência da cooperação que existe entre eles.
Em algumas sociedades – como a de abelhas, de formigas e de cupins-, existe uma nítida divisão de trabalho entre seus componentes. Os indivíduos organizam-se formando castas sociais. Uma casta é formada por organismos especializados no desempenho de determinada tarefa.

SOCIEDADE DAS ABELHAS

Nem todas as abelhas são sociais: as abelhas de muitas espécies têm vida solitária, isto é, vivem sozinhas.
As abelhas mais conhecidas são da espécie Apis mellifera, que vive em sociedade.
Nas sociedades dessas abelhas existem três castas: a das rainhas, a das operárias e a dos zangões.
Rainha: fêmea fértil com função reprodutiva. Coloca, aproximadamente, mil ovos por dia.
Operárias: fêmeas estéreis, defendem a colmeia, coletam néctar e pólen das flores, fabricam mel, cera, geleia real, etc.
Zangões: machos férteis com função reprodutiva, pois fecundam a rainha.

A atividade das abelhas é de grande importância para a reprodução de muitas espécies de plantas e, portanto, para a manutenção do equilíbrio em variados ecossistemas terrestres.
Pois ao se deslocarem à procura de néctar e pólen, transportam o mesmo de uma flor para outra- isto se chama polinização. Que é importante para a formação de sementes
 E frutos, e cada semente que germina no ambiente pode formar uma nova planta.
As abelhas nutrem-se de pólen e do néctar, e com o último fabricam o mel, também usado como alimento.
Os seres humanos beneficiam-se das atividades das abelhas, tais como:
*cera: (construção dos favos) fabricação de cosméticos, tintas e velas, etc.
*mel e geleia real: (alimento, a geleia real é alimento das larvas de rainhas) alimento.
*própolis:(coletado de plantas serve para fechar frestas e impedir o desenvolvimento de microorganismos na colmeia) atribuem-se à própolis propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes e antimicrobianas,usado na confecção de pasta de dentes, chocolate, xampu, cremes, balas e tratamento de feridas.

SOCIEDADE DAS FORMIGAS

As formigas são importantes para o equilíbrio biológico dos ecossistemas onde desenvolvem suas atividades.
Aumentam a aeração e drenagem do solo, e enriquecem o solo com matéria orgânica, ao levar para o seu ninho resto de plantas e animais mortos. Além de disseminar sementes, espalhando-as pela natureza, contribuindo para a reprodução de várias espécies.
Entre as espécies conhecidas, apenas cerca de 1% entra em conflito com os humanos

SOCIEDADE DOS CUPINS

Os cupins, assim como as abelhas e as formigas, são muito importantes para a manutenção do equilíbrio biológico dos ambientes naturais em que vivem. Decompondo a madeira de troncos e de ramos de árvores, revolvendo a terra e facilitando a drenagem da água, os cupins trazem um poderoso benefício ao solo. Mas algumas espécies de cupins atacam certas plantas cultivadas e causam prejuízos domésticos.

RESPONDA: